Supernatural - Os Improvisos Perdidos



Esse dizem ser o "Deus" da arte do improviso, até entrou no livro dos records por ter ficado nada mais nada menos que '9 horas' rimando sem parar !!! da pra encarar ??
Neste disco ele traz umas canções mocosadas que entraram no álbum SPIT, alguns free é claro ao vivo, uns remixes, algumas participações importantes e também algumas performances em batalhas, ahh tem uma abertura pro show do Wu-Tang também. Quer conferir ? então ja sabe né ... é nosso !

Tracklist:

1. Internationally Known
2. Work It Out feat. Charli 2na, Akil & Wildchild
3. Victory feat. Wildchild
4. A Piece Of Hip Hop History Pt. 1 (Freestyle: Bobbito & Stretch - Supernatural's First-Ever Radio Appearance (Early 90's))
5. A Piece Of Hip Hop History Pt. 2 (Freestyle: Bobbito & Stretch)
6. Wake Up LA! (Freestyle: Sway & Tech Wake Up Show)
7. Clash Of The Titans (Freestyle Battle: Supernatural vs. Craig G)
8. Get Ready To Rumble (Freestyle Battle: Supernatural vs. Juice)
9. The Live Show (Freestyle: Supernatural Opens For Wu-Tang Clan)
10. Supernatural & A-Butta (Freestyle: NYU)
11. Cosmic Slop
12. Suckaz feat. Vinnie Paz
13. Flashbacks
14. Victory (Oh No Remix)
 
http://rapidshare.de/files/29668326/The_Lost_Freestyle_Files-rapdungeon.blogspot.com.rar
 
Fonte: TOCA DISCO PUBLICO
Os pupilos de Eazy-E lançam "The Takeover"


O único grupo de rap latino na gravadora de Eazy-E, "The Brownside" acabou de dar os toques finais em seu album, "The Takeover". Seu album de estréia "Eastside Drama" que iria sair em 1995 pela Ruthless Records foi adiado devido a morte de Eazy, e assim acabando com as chances desses gangstas se tornarem rappers. O retorno demorado com "The Takeover" demonstra a determinação do grupo em fazer parte do jogo novamente, uma decada depois da chegada.

Wicked, Troube e Toker forma o trio The Brownside, Toker está atualmente cumprindo pena em uma prisão federal, "Espero estar fora daqui até o fim do próximo ano," Toker explica.

O filho de Eazy-E, Lil E, ainda tem memórias do amigo de seu pai Toker, quando ele levou o então Lil E de 10 anos para uma viagem a Disneylandia. "Mal posso esperar para ver o Lil E quando eu sair daqui, eu tenho muita coisa pra falar pra ele sobre seu pai." diz Toker. Eazy-E e Toker eram como unha e carne, Jerry Heller fala sobre os dois em seu livro que está pra sair em Agosto chamado "Ruthless", no livro Heller começa a falar sobre a morte de Eazy assim, "Somente algumas pessoas estavam próximas de Eric nos seus últimos dias. Toker, aka Little Beaver, sua conexão latina nas ruas. O mixmaster Julio G." Heller também cita o The Brownside em relação ao sonho e desejo de Eric de se envolver no movimento do Rap Latino, um sonho que se acabou com sua morte. Eazy-E apareceu no album de estréia do grupo, que foi gravado um pouco antes de sua morte. Wicked explica: "Toker e Eazy eram como irmãos. Eazy nos ajudou muito, ele vivia dizendo para nós mudarmos o nome do grupo para M.W.A., mas nunca fizemos isso. Ele estava sempre apertando essa tecla. Ele até escreveu aquelas pequenas notas no estúdio, tentando nos convencer. Ele realmente queria lançar nosso album pela Ruthless, chegamos a marcar algumas datas com Eazy e Bone Thugs-N-Harmony."

Wicked cita "La Despendida (Farewell)" como sua música favorita desse novo album, que vai sair pela P.R. Records. Trouble e Toker se conheceram na cadeia. Toker tem algo a dizer sobre isso, "Não somos rappers tentando ser gangstas, somos gangstas tentando ser rappers."

Com músicas do tipo "Life Of A G", "Who We Are" e "It Ain't Easy", eles continuam fiéis a suas raizes, um dos motivos pelo qual Eazy-E os acolheu. Trouble explica "Estamos representando Southside L.A., também conhecido como 'The Skanless'. Mas sei que várias pessoas se identificam com o album. Toker nos dá uma visão da dificil vida nas ruas, Trouble fala sobre os problemas das ruas, e eu falo sobre minhas próprias experiências nas ruas.

Fonte:S.L.U.P.M.I.

Snoop Dogg volta a ser o Gangsta de Doggystyle

Em poucas palavra Snoop Dogg diz que é o homem errado pra você tentar foder.

"O básico desse video é não foda com Snoop Dogg, porque ele vai fazer você correr como em uma maratona," diz o sorridente Snoop no set de gravação de seu video "Vato". De acordo com o que B Real do Cypress Hill diz no refrão, alguns malandrões tentaram pisar no calo de Snoop e viram que essa não era a coisa certa a se fazer.

"Eu estava tentando imaginar a cena toda" diz o produtor de "Vato" Pharrell Williams no trailler de Snoop. "Dr. Dre é o Rei, certo? Ele faz essas músicas que são cinemáticas. Eu quero segui-lo, não seguir seus passos, porque isso não é possível, mas quero seguir a sua tendência e dar uma atmosfera a Snoop. Eu imaginei que eu era o Spielberg, escrevendo, dirigindo, produzindo. Esse é aquele som que quando você ouve faz cara de mau. Eu adoro som gangsta. Sinto falta disso. Acho que está na hora dele voltar."

Snoop diz que seu album "Blue Carpet Treatment", definitivamente é muito mais gangsta que seu último album "R&G (Rhythm & Gangsta): The Masterpiece", no qual ele rimava ao lado de Pharrell na "Drop It Like It's Hot" e com Justin Timberlake na "Signs."

"Eu estou de volta ao gueto. Voltei a base. Eu tenho feito muitas músicas Pop, muitos R&B. Meus fãs acharam que eu tava ficando suave e não era mais o mesmo Snoop. Mas eu sou um artista e eu tenho que divertir as pessoas, e eu me sentia daquela forma na época. Mas agora, estou totalmente de volta no gueto. Esse som é muito gueto, totalmente gangsta. Eu não fiz quase nenhuma música "limpa" no meu album, eu quero que se foda" diz Snoop.

"Snoop Dogg, o verdadeiro, está de volta," ele mesmo proclama.

Enquanto estava gravando "Vato", Snoop foi direto ao gueto filmando algumas cenas. Mas além da mensagem para não foder com Snoop, o video tem uma mensagem muito mais séria: a necessidade da união entre Negros e Mexicanos, especialmente devido a crescente onda de violência e morte entre esses dois lados nos últimos meses em Los Angeles, principalmente nas cadeias.

"As pessoas acreditam no que elas veem, então se lançarmos um video mostrando nós trabalhando juntos, que somos amigos, será legal... as pessoas verão e irão achar legal. Mas isso não é uma atuação. B Real é meu mano mesmo. E fizemos a coisa certa fazendo esse video unificando esses dois mundos. Negros são Negros, Chicanos são Chicanos, mas se nos unirmos, nada pode nos parar."

Mais tarde, junto com B Real, Snoop continuou "estou espalhando essa idéia e tentando promover um pouco de positividade nesse movimento musical da West Coast. Eu chamei o diretor Phillip Atwell para dar um ar cinemático no video, e chamamos alguns atores e pessoas de Hollywood para tornar a coisa mais real."

"A influência da música nas pessoas é devastadora", disse o nomeado ao Oscar Edward James Olmos que fez uma aparição no video. "As pessoas usam a música para se expressar, o impacto é maior. Se você entende que temos problemas e você tenta entender esses problemas através da sua música, você está se superando. Snoop Dogg se superou de uma tal maneira dessa vez.

"O maior objetivo que podemos alcançar com isso é o entendimento entre as culturas," Olmos continuou. "Essa situação já durou muito tempo; e vai continuar a menos que possamos dar uma nova alternativa para os jovens. Nesse exato momento tem crianças mostrando a outras crianças como serem adultos - os adultos tem que apoiar essa idéia. Snoop Dogg é um adulto. Ele anda pelo certo e fala o que é certo. Ele tem feito muita coisa faz tempo."

Pharrell disse que Snoop lhe deixou a par do conflito racial em Los Angeles, e Pharrell se inspiro para surgir com o tema.

"Unir os mexicanos e os negros," disse Pharrell. "Eu acho que essa música é um bom veiculo. Pessoas estão morrendo. Muito disso está ocorrendo nas cadeias. Não queremos que isso aconteça... Queremos mudar isso e estamos oferecendo uma opção. O que eu posso fazer é montar um quadro favorável para isso com minha percepção."

O album "Blue Carpet Treatment" sai no dia 19 de Outubro, um dia antes do aniversário de Snoop, e ele disse que vai fazer uma festa após o lançamento, dois motivos pra comemorar.

Fonte:S.L.U.P.M.I.

Supernatural quebra recorde de Freestyle no Rock The Bells




MC Supernatural


Um rapper consciente, Supernatural, freestylezou seu caminho na história esse ano no show Rock The Bells em San Bernardino, California esse final de semana.

O agora lendário rapper bateu o record do Guinness Book com o Freestyle Mais Long de Rap com 9 horas e 10 minutos, batendo o record do rapper canademse D.O.

"Basicamente manter o folego e o passo foram os aspectos mais dificeis para mim, mas graças a Deus eu consegui." disse Supernatural.

O festival Rock The Bells se tornou sinônimo de criar parte da história do Hip-Hop desde que reuniu todos os membros do Wu-Tang no mesmo palco dois anos atrás.

Chang Weisberg, o criador do festival, disse que o festival era o local ideal para Supernatural quebrar o recorde mundial, porque o festival representa os melhores elementos do Hip-Hop.

"Supernatural é sem dúvida um dos melhores freestylers do jogo e provou isso hoje," disse Weisberg. "Embora as regras tenham possibilitado ele de cantar músicas ou fazer cover de outras músicas que ele queria adicionar alguma coisa para que ficasse um freestyle, ele se saiu muito bem e não me pareceu ter nenhuma dificuldade, foi tudo freestyle."

Supernatural foi acompanhado o dia todo por amigos, fãs e outros demonstrando apoio, além de contar nas pick-ups com DJ Rhettmatic, DJ Rocky Roc e DJ Babu do Dilated Peoples.

O festival que tinha convidados como Mos Def, Talib Kweli, Redman, De La Soul, Aesop Rock, Living Legends, DEL The Funky Homosapien, Immortal Technique, MURS 3:16, Self Scientific, Visionaries, B Real, Dilated Peoples e Planet Asia, chegou ao seu máximo quando o Wu-Tang Clan subiu ao palco e fez uma homenagem a Ol' Dirty Bastard.

A mãe do rapper foi trazida ao palco e foi aplaudidade por milhares de fãs.

E as surpresas não pararam por ai, logo depois aparece Phife Dawj e uma surpresa mais que especial, Lauryn Hill.

Lauryn Hill cantou duas novas músicas e levou o público de volta ao passado com sua banda de Jazz cantando "That Thing", e outras músicas favoritas de seu grupo, The Fugees.

Fonte:S.L.U.P.M.I.

Sean Combs é o mais rico do Hip-Hop


Sean "Acho que vou mudar de nome de novo" Combs

Sean "P. Puff Diddy Daddy" Combs superou Jay-Z como A Pessoa Mais Rica no Hip-Hop, de acordo com o site Panache Report.

Após seis meses de pesquisa, o criador do site, Myra Panache, descobriu que o milionário Bad Boy tem a maior conta bancária que chega a $346 milhões, seguido de perto pelo presidente da Def Jam Shawn "Jay-Z" Carter em segundo com $340 milhões, e em terceiro ficou o co-fundador da Def Jam Russell Simmons com $325 milhões.

A maior parte dos milhões de Jay-Z vem de suas ações no New Jersey Nets, Vodka Armadale, sua cadeia de clubes noturnos 40/40 e o salário de $3 milhões como presidente da Def Jam.

As vendas do perfume de Diddy, Unforgivable, provou ser o fator determinante na vitória dele sobre Jay-Z. De acordo com Panache, Diddy recebeu um adicional de $6 milhões esse ano pela colônia masculina. A maior parte de sua renda vem da venda da Bad Boy Records para a Warner Music Group e sua linha de roupas Sean Jean.

Por último ficou o fundador da So So Def, Jermaine Dupri, que entrou na lista esse ano, e está empatado com Nelly com $60 milhões.

Aqui vai a lista completa:


01. P. Diddy, $346 Million
02. Jay-Z, $340 Million
03. Russell Simmons, $325 Million
04. Damon Dash, $200 Million
05. Neptunes, $155 Million
06 Dr. Dre, $150 Million
07. Ice Cube, $145 Million
08. Eminem, $110 Million
09. 50 Cent, $100 Million
10. Nelly, $60 Million
10. Jermaine Dupri, $60 Million

Fonte:S.L.U.P.M.I.

CONFIRA ENTRVISTA DA NEGRA MAIS LINDA DO BRASILLLLLL
O nome dela ja dis tudo!!!!
Negra Li lança primeiro disco solo
 

Negra Li começou aos 16 anos no grupo de rap RZO, depois fez uma dupla com o rapper Helião, que resultou em muitos prêmios, entre eles o Melhor Grupo de Rap no VMB 2005. Agora ela parte em carreira solo, praticamente do zero, com aquele friozinho na barriga, como se estivesse fazendo tudo pela primeira vez.
O mtv.com.br conversou com a cantora para saber mais sobre o novo CD, a carreira cinematográfica e outras.

mtv.com.br- Como foi gravar o clipe da música “Você Vai Estar na Minha Vida”?
Negra Li
- Eu já fiz três clipes profissionais, dois junto com o Helião (rapper e ex-parceiro) e este. Agora eu curti mais, estou no meu momento, em carreira solo, mais feminina. O Hugo Prata e a Karina Ades (diretores) me fizeram sentir muito bem. Depois eu vi o resultado final e foi ótimo, eles estudaram as cores, iluminação, com qual roupa eu deveria estar. Foi uma ótima combinação. A música do clipe foi uma idéia do Lino Crizz (cantor e compositor), que “usou” o refrão de uma música do Caetano, cantada por Marisa Monte.

mtv.com.br- E como rolou o contato com o Caetano Veloso?
Negra Li
- Esse meu namoro com o Caetano é antigo (risos). Eu me lembro de uma vez que encontrei ele em um estúdio, eu ainda fazia parte do RZO (grupo de rap), conversamos, e ficou nisso. Nos encontramos muito tempo depois no Prêmio Hutuz, quando subimos ao palco para receber o prêmio de Melhor Grupo das mãos dele. Nessa ocasião, eu já pensava em fazer o meu disco. Na premiação conversei com o Caetano sobre meu projeto, e ele topou na hora, foi muito gentil.

mtv.com.br - Por que demorou para vocês fazerem essa parceria?
Negra Li
Ele estava em produção de um disco novo e eu nem tinha muito tempo para compor músicas para o meu CD. Daí o Max achou uma música que ele já tinh
.com.br- O que você acha do rótulo de diva do rap nacional?
Negra Li
- Olha, isso começou no Acústico MTV Charlie Brown Jr. Quando eu terminei a participação na música “Não É Sério”, o Chorão disse: “Essa é a nossa diva”, e ficou (risos).

mtv.com.br- Você ainda é parceira do Helião?
Negra Li
- Ele me ajudou em três músicas e agora está projetando o trabalho dele. Nunca foi novidade que eu faria o meu disco, desde o início poderia acontecer isso. Estamos super bem, cada um com o seu projeto. A carreira da dupla Helião e Negra Li foi muito bem e agora vamos seguir cada um o seu caminho.

mtv.com.br- O que mudou da sua carreira com o RZO para cá?
Negra Li
- Mudou muita coisa, agora sou uma mulher, era uma menina quando comecei. Estou mais madura. O RZO foi um dos grupos pioneiros a dar espaço para a mulher no rap. Quando eu cheguei, o Helião me recebeu bem. Um cara bem esclarecido e com a mente aberta para todos os sons. No RZO, éramos nós que fazíamos a produção de tudo. Íamos tocar às seis da manhã com o sol raiando. Agora temos um suporte para desenvolver nosso trabalho com uma empresária, produção e tudo mais.

mtv.com.br- No rap ainda existe o domínio masculino? Existe preconceito?
Negra Li
- Antigamente era difícil encontrar alguma garota fazendo rap, hoje a mulherada está cada vez fazendo mais. Tem mulher que rima mais que muito homem por aí. Eu tenho o exemplo da Cindy, uma das meninas que fez comigo o longa-metragem “Antonia”, uma história de quatro meninas que fazem rap. Ela acabou de lançar um CD, é ótima no freestyle e tem apenas 18 anos. Já virei fã dela!

mtv.com.br- O que você acha da mistura de outros ritmos com o rap?
Negra Li
- A mistura que eu mais gosto é do reggae com o rap, o ragga. Gosto da mistura do rap com o samba, mas gosto com o reggae. Antes de eu ser do rap, eu era uma regueira de trancinhas, usando sempre as cores do estilo (risos). Eu gosto muito do Sizzla.

mtv.com.br- Você disse em uma entrevista que desde pequena tinha o interesse em atuar. Como foi participar do longa-metragem “Antonia”?
Negra Li
- Desde pequena realmente eu gostava de ficar na frente do espelho brincando. Já fiz um curso de teatro, mas a música foi onde eu me descobri. Já o filme é uma linguagem que gosto, só não achei que seria tão cedo. Foi uma oportunidade que surgiu e eu gostei muito dessa experiência.
Quando eu me vi pela primeira vez assim na tela, eu não gostei muito não... (risos). Disseram que era normal, eu estranhei muito a minha voz.
O importante é a mensagem que o filme quer transmitir. São várias garotas que tem um grupo de rap, estão num circulo típico machista e encaram este preconceito.

mtv.com.br - Você tem mais algum projeto no cinema?
Negra Li
- O filme será lançado em janeiro e a série virá antes em novembro deste ano.

mtv.com.br- É verdade que você toca piano?
Negra Li
- Ainda não (risos). Eu estou aprendendo, neste ano estudei poucas vezes, porque não tive tempo para me dedicar. Só o ano que vem eu vou retomar as aulas. É um instrumento que eu admiro muito e vou chegar lá (risos).

 

Fonte:mtv.com.br

Beyoncé lidera indicações para prêmio de música negra
 
A cantora norte-americana Beyoncé Knowles lidera, com quatro indicações, o prêmio Mobo (sigla para Music of Black Origin, ou "música de origem negra").

A ex-vocalista do grupo Destiny's Child foi selecionada nas categorias de melhor cantora, melhor música, melhor videoclipe e melhor artista R&B.

Nas mesmas categorias também foram indicadas as cantoras Mary J. Blige e Nelly Furtado. Ficaram com três indicações cada as britânicas Corinne Bailey Rae e Kano, nas categorias de melhor artista britânica, melhor canção e melhor cantora jovem.

Os Mobo, que premiam a música de origem negra, também contaram com nominações para Black Eyed Peas (que vem ao Brasil em novembro), Gnarls Barkley, Outkast, The Pussycat Dolls e para a banda inglesa The Streets.

A entrega dos prêmios acontecerá no dia 20 de setembro no vitoriano Royal Albert Hall de Londres.

Fonte: RHH

Rakim, Supernatural e Beatnuts


Rakim - The Master (1999)

1. Intro
2. Flow Forever
3. When I B On The Mic
4. Finest Ones - (featuring Clark Kent)
5. All Night Long
6. State Of Hip Hop Interlude
7. Uplift
8. I Know
9. It's The R
10. I'll Be There - (featuring Nneaka Morton)
11. It's A Must - (featuring Rahzel)
12. Real Shit
13. How I Get Down
14. L.I. Interlude
15. Strong Island
16. Waiting For The World To End
17. We'll Never Stop - (featuring Connie McKendrick)

http://rapidshare.de/files/28610545/Rakim_-_The_master.zip.html


Esse é "O CARA", ex-trompetista e ex-parceiro de Eric B., Rakim encabeça a lista de melhores MC´s feitas pelos melhores MC´s. Liricismo nas letras, misturado com sabedoria de rua e um flow único (copiado até hoje) fazem desse cara um gênio no microfone. Rakim está no jogo desde 1985, e inovou ao usar rimas dentro dos versos, não só no fim deles, o que mudou o modo de fazer rap de lá pra cá. The Master não teve muito sucesso comercial, talvez por ter sido lançado em uma época de renovação no rap estadunidense, o que não tira o valor do disco, só o som When I be on the mic já vale o disco, mas tem muito mais pra se ouvir aí. Confere. Flow forever!!!

------------------------------------------------------------------------------


Supernatural - S.P.I.T.: Spiritual Poetry Ignites Thought

1. Black Opera - (with Raekwon)
2. Rollup - (with B-Real)
3. It Ain't A Game - (with Chali 2NA)
4. Not That Way
5. My Father Said
6. Guess Who's Black
7. Battle Myself
8. Rise
9. Everybody
10. Off Top
11. Gunfire
12. Children, The
13. Fight
14. Showdown

http://rapidshare.de/files/28972946/Supernatural_-_S.P.I.T.zip.html


Supernatural é mundialmente conhecido como o rei do freestyle, se não conhece o cara ainda, assista o documentário "Freestyle, the art of rhyme" pra saber de quem estamos falando. Nos palcos o cara simplesmente arregaça, tem uma batalha dele contra o Juice (que até aparece no documentário) que é nada menos que épica. MC´s de batalha tem a fama de não conseguir passar a mesma energia nos discos, com algumas excessões (a maior delas é o Eminem), mas Supernatural deu conta do recado aqui, o disco tem uns sons muito bons, tipo o Batlle myself e Showdown.É só escutar!

--------------------------------------------------------------------------

The Beatnuts - Milk Me (Instrumental)

1. Intro
2. Hot
3. Buggin
4. It's Nothing
5. Rock N Roll Interlude
6. Find Us(In The Back Of The Club)
7. U Nomsayin
8. We Don't Give A Funk
9. Confused Rappers
10. All Night
11. Madness
12. We Getting Paper
13. Marching Band
14. Uh Huh
15. Down
16. Take Off Your Pants
17. Freak Off
18. Milk Me Interlude

http://rapidshare.de/files/28790756/The_Beatnuts_-_Milk_me___instrumental_.zip.html

Fonte: Groove Grave

Racionais fazem show com irmão de Tupac Shakur


O rapper Ice Blue, dos Racionais fala sobre a homenagem a admiração e homenagem que o grupo fará ao rapper americano assassinado em 1996 e sobre o primeiro DVD dos Racionais

Jotabê Medeiros

Sergio Castro/AE
Ice Blue: "o último disco nosso vendeu perto de 400 mil cópias"

SÃO PAULO - O rapper Ice Blue, dos Racionais fala sobre a homenagem a admiração e homenagem que o grupo fará ao rapper americano assassinado em 1996 e sobre o primeiro DVD dos Racionais

Assassinado a tiros em 1996, o rapper americano Tupac Shakur tornou-se um mártir do hip-hop, um ícone do gangsta rap. Sua lírica e estilo influenciaram artistas pelo mundo todo, e os nossos Racionais MC’s não são exceção. E, nesta quinta-feira, às 22 horas, pelo menos de forma sanguínea, eles vão conhecer algo do ídolo: tocam no mesmo palco de Mopreme Shakur, irmão de Tupac, pela primeira vez no Brasil, fazendo um tributo ao mano.

O show celebra os 10 anos da festa Rap Soul Funk, e é resultado da união entre as casas Rose Bom Bom, Nasty, Urbano e a Faap. “Sou fã do Tupac, sou suspeito. Não conheço bem o Mopreme, mas ele estava no álbum "Thug Life", do Tupac, e o que o que conheço gosto muito”, disse à reportagem o rapper Ice Blue, dos Racionais, que estavam em estúdio trabalhando no primeiro DVD do grupo, a ser lançado em setembro pelo selo Cosa Nostra (também estão produzindo dois novos astros do gênero, Rosana Bronx, da Zona sul, e O Time, da Zona Oeste).

O show que dará base ao primeiro DVD dos Racionais MC’s foi gravado há cerca de três anos no Sesc Itaquera, num show que teve abertura de Jorge Ben. “Um domingo chuvoso, um dia louco. Está tudo guardado há um tempão, mas finalmente vai sair”, disse Ice Blue.

Como os Racionais, que são uma das vozes da periferia, vêem os ataques do PCC?

Sobre isso a gente se recusa a falar. Falamos sobre isso há muitos anos. Agora querem nossa palavra sobre isso pra quê? É eles com eles!

Soube que você agora tem uma grife. Qual é a razão?

Há toda uma tendência de moda de rua hoje na qual aparecem muitos oportunistas, gente que não é do meio, e lança roupa para nossas pessoas. Aproveitam-se da idéia e da ocasião para faturar. Há 8, 10 anos, poucos queriam saber do rap. Era música de bandido, não servia para comercial, para playboy, para tocar no rádio. Hoje é tendência, apesar de as grandes rádios ainda ignorarem. Eu já trabalhei como cortador profissional (de confecções). Resolvi fazer roupa para expressar nossa identidade. A camiseta é um outdoor ambulante, é protesto. Por isso tive a idéia de propagar uma marca.

Como você vê a música de gente como Marcelo D2, que mistura samba com rap?

Quem fez isso de verdade foi o Sabotage. Os outros vieram na idéia do Sabotage. E isso já é uma restrição no meu jeito de analisar. Mas, na grande parte de tudo, queira ou não, tem que interagir com o samba, que é a música mais de raiz que existe na periferia. Não tem como. Mas tem pessoas que fazem rap com samba que na verdade não entendo. Não tem por quê. Eu não conheço ex-puta e ex-viado.

Vocês já foram próximos da MTV, mas hoje estão distantes. Soube que o Mano Brown se recusou a ir ao programa do João Gordo.

A MTV, com tudo que está acontecendo no rap nacional, se recusa a tocar hip-hop. Toca rock, punk, tudo que é gênero é bem aceito. Hip-hop, se tiver, é lá pela uma hora da manhã, para ninguém ver. Convidar os Racionais é muito fácil, hoje é muito fácil. Indica números. Quero ver ajudar a fazer, como faz por outros gêneros. Lá tem programa de tudo, para falar de comida, fofoca. Mas de rap?

No show com o Mopreme, haverá também Mr. Catra, que é do funk carioca. Vocês gostam do funk carioca?

Acho que, se for falar do funk, eu vou dizer: a gente gosta do ritmo. É a mesma coisa do rap, não dá para alisar coletivamente, só individualmente. Depende da letra. Aí é de cada um, que nem o rap, que tem letra pesada, tem gospel, tem de tudo, muitas variações de conteúdo e pensamento. Mas o funk é um ritmo que contagia. Só pelo fato de ser música do morro, já está contestando, independente do que seja. É gente do morro que tá sendo ouvida, é um ritmo do morro.

E a pirataria, qual é sua opinião a respeito?

O último disco nosso vendeu perto de 400 mil cópias. "Sobrevivendo no Inferno" vendeu mais de milhão. Era uma época em que as pessoas ainda compravam discos. Agora compram menos. Hoje fica cada vez mais difícil, porque tem um cara que não trabalha, que não tem estúdio, que não compõe nem canta, não faz nada. Esse cara fica num computador copiando nossas coisas e põe um outro cara na rua para vender. Vou brigar com o cara na rua? Não vou, sei que ele tá se virando para viver. Mas ao mesmo tempo eu não concordo. Sei que ali tem outros interesses. Acho que, se comprar o original, fica melhor.

E a política? Como se alinham os Racionais hoje?

O Racionais sempre apoiou o PT. Hoje, eu fico abismado com tudo que acontece. Não falo só do PT, mas desses deputados. Não estão nem aí mais para o povo. Só falam da vida um do outro. São Paulo é a cidade com o maior índice de analfabetismo, mais do que Teresina, no Piauí. E os políticos apontando o dedo um para o outro.

O que acham do governo Lula?

Quando se fala em presidente Lula, tem uma certa vaidade de gente que estudou muito, que se acha muito viajado, muito letrado, que não consegue entender como um cara semi-analfabeto consegue melhorar o País em quatro anos. É muito difícil admitir isso. Aí vem com esse papo: roubou um, roubou outro. Todo mundo roubava em todo governo. Não é só no governo do Lula. Aí fica essa coisa: ‘você fez isso, você fez aquilo’. E o povo? E as coisas que precisam ser feitas para o povo? O Brasil nunca vai para a frente desse jeito. Vamos pro que interessa, vamos deixar de ficar falando da vida um do outro.

Fonte: Estadão

M.O.P

• Underground Hip Hop
• Brooklyn Style


M.O.P - Firing Squad
1. Intro
2. Firing Squad (Skit)
3. Firing Squad
4. New Jack City
5. Stick To Ya Gunz
6. Anticipation
7. Born 2 Kill
8. Brownsville
9. Salute
10. World Famous
11. Downtown Swinga
12. Lifestyles Of A Ghetto Child
13. Revolution
14. Illside Of Town
15. Nothin 2 Lose
16. Dedication
17. Dead & Gone
18. Born 2 Kill (Jazz Mix)
http://www.megaupload.com/?d=DCF5N7LR


M.O.P - Warriorz
1. Premier Intro
2. Welcome To Brownsville
3. Everyday
4. Ante Up (Robbing-Hoodz Theory)
5. Face Off
6. Warriorz
7. G-Building
8. Old Timerz
9. On The Front Line
10. Nig-gotiate
11. Follow Instructions
12. Calm Down
13. Power
14. Home Sweet Home
15. Background Niggaz
16. Cold As Ice
17. Operation Lockdown
19. Foundation

http://rapidshare.de/files/23505574/M.O.P._-_Warriors.rar.001


M.O.P - St. Marxmen
1. Fliptro
2. Pain
3. Big Boy Game
4. It's Hard To Tell (Feat. Foxx & INF)
5. Suicide (Feat. Teflon)
6. Hip Hop Cops (Feat. Wyclef Jean)
7. Pop Shots Remix (Feat. ODB)
8. Classic Skit
9. Put It In The Air (Feat. Jay-Z)
10. Skit
11. Muddy Waters
12. Party Like A Rockstar
13. Instigator
14. Take A Minute
15. G Boy Stance
http://www.megaupload.com/?d=DKB1WCMN


M.O.P - Ghetto Warfare
1. Intro
2. Welcome Back (feat. Teflon)
3. Roc La Familia (feat. Jay-Z)
4. Instigator
5. Interlude
6. F*ck M.O.P.
7. Stomp Tha Shi*t Out Ya
8. Interlude
9. Fire
10. Got To Go
11. The Bottom
12. Put It In The Air
13. What The F*ck
14. Wanna Be Gs
15. Live From Ground Zero
16. Take A Minute
17. Muddy Waters
18. G-Boy Stance
19. BKNY

http://rapidshare.de/files/28242208/mopghettowarfare.rar.html

Fonte:http://www.trabalhomental.blogspot.com
The Game toma tiros em Los Angeles
Extra !!! Extra !!! Extra !!!

O rapper de nativo de Compton "Jayceon Taylor" a.k.a "The Game" tomou uns tiros enquanto estava andando de carro no sul de Los Angeles.
O ataque contra Game ocorreu na meia noite na street 111.
The Game foi levado para o hosptal mas naum tinha ferimentos tão grave.
De acordo com o sargento Jon Tippet do Departamento de Policia de Los Angeles diz q os suspeitos são membros da G-Unit Crips .
O suposto carro é um escort azul 1994.
G-Unit Crips
[ ver mensagens anteriores ]